UFSM/FW: Um sonho que se tornou realidade há 11 anos

Idealizada e fundada pelo Professor Doutor José Mariano da Rocha Filho, a Universidade Federal de Santa Maria é uma instituição de ensino superior público, gratuito e de qualidade que atua há 57 anos no Rio Grande do Sul. Fundada em 14 dezembro de 1960 no município de Santa Maria, construiu credibilidade e tradição durante seu desenvolvimento.

Atualmente a UFSM conta com dez Unidades Universitárias espalhadas pelo Rio Grande do Sul, além de quatro estabelecimentos de educação básica, técnica e tecnológica. Essas unidades contribuem para o desenvolvimento local nas regiões onde são estrategicamente implantadas e recebem alunos de todos os estados do Brasil em busca de aprendizado e qualificação profissional.

Foto: Divulgação

Assim, com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento da região Norte do Rio Grande do Sul, em 13 de janeiro de 2005 foi realizada uma Audiência Pública para tornar possível a instalação de uma extensão da UFSM em Frederico Westphalen. Com a confirmação da vinda de uma universidade pública para a região, foi dado início ao projeto de instalação do campus.

Em dezembro de 2005, o então presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, assinava um contrato que estabelecia um convênio entre o Governo Federal e a UFSM, que permitia o repasse de recursos da União para o início das obras. Posteriormente, em março de 2006, estavam abertas as inscrições para o primeiro vestibular do campus de Frederico Westphalen e, também, do campus de Palmeira das Missões. Já em julho de 2007, ocorria a inauguração oficial dos primeiros prédios da UFSM na região Norte do Rio Grande do Sul.

Em 2017, com um desenvolvimento notável tanto em qualidade de ensino, quanto em infraestrutura, a Universidade Federal de Santa Maria campus Frederico Westphalen, comemora 11 anos de atuação. Ao longo de sua trajetória, a instituição já formou milhares de estudantes em diferentes áreas. Atualmente a UFSM/FW oferece seis cursos de graduação sendo Agronomia, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Florestal, Jornalismo, Relações Públicas e Sistemas de Informação. Além disso, oferece um programa de Pós-Graduação em Agronomia – Agricultura e Ambiente e um de Educação a Distância em Licenciatura de Computação.

Em 16 de outubro de 2006, data do início das atividades do campi, as estruturas eram bastante limitadas, se comparadas com o cenário atual. Cleomar Fabrizio é funcionário da UFSM desde os primeiros dias de funcionamento da instituição em Frederico Westphalen, ele relembra os momentos iniciais do campus:

Após 11 anos, Cleomar comenta sobre o seu sentimento ao ver uma instituição consolidada na região:

Uma universidade pública em nossa região não seria possível sem o comprometimento e dedicação  de um grupo de pessoas, que no passado batalharam pela implantação da UFSM em Frederico Westphalen e Palmeira das Missões. Olando Puhl fez parte desde grupo de pessoas, que envolveu a comunidade regional em prol da educação gratuita e de qualidade:

A professora Cláudia Moraes, uma das precursoras da implantação do curso de Jornalismo na instituição fala sobre o trajeto que a Universidade percorreu ao longo destes 11 anos:


Referência para a região

Em constante desenvolvimento, a UFSM/FW conta com mais de 900 alunos divididos entre os seis cursos e as duas pós-graduações. Com o processo de extinção do tradicional vestibular, a instituição vem promovendo, a cada ano, uma democratização maior do ensino superior que, por meio do Sisu, oportuniza estudantes de todo Brasil a concorrer às vagas da universidade.

O estudante Axel Marioto de 24 anos, acadêmico do 4º semestre de Agronomia, é o reflexo desta transição do vestibular para o Sisu. Vindo de Ibitinga-SP, Axel destaca que escolheu estudar na UFSM/FW, dentre outros motivos, pela boa assistência que a instituição presta aos estudantes:

A região também é diretamente beneficiada pela implantação dos cursos nas cidades de Palmeira das Missões e Frederico Westphalen. Não são poucos os casos de profissionais que permaneceram na região após o término da graduação, qualificando ainda mais o mercado de trabalho e suprindo importantes demandas. 

Futuro ameaçado 

Apesar de ser uma das maiores universidades do Estado e já possuir uma boa consolidação, isto não está impedindo que a mesma sofra com o corte desenfreado de gastos com a educação. Desde abril deste ano, cargos já foram extintos e dezenas de funcionários foram demitidos e, infelizmente, os reflexos destes contingenciamentos são sentidos em dobro nos campi mais novos da universidade. Segundo o reitor Paulo Afonso Burmann, desde 2015 a UFSM  acumula um déficit de R$ 270 milhões.

Desde a aprovação da PEC 55, que congelou os investimentos e freou o desenvolvimento de várias instituições, o futuro do ensino público e de qualidade é tratado como incerto. Se a primeira década de atuação foi recheada de desafios para a UFSM/FW, os próximos anos também prometem dificuldades, no entanto, a luta pela defesa das universidades federais sempre esteve presente nos funcionários, professores e técnicos que nesses 11 anos continuam a defender o desenvolvimento do campus.

De fato, os cortes no orçamento da educação preocupam, porém, desde o primeiro ano de CESNORS até os dias atuais, ano após ano milhares de jovens confiam  no trabalho desenvolvido pela universidade, que procura manter para o futuro, o espírito de equipe e de família que a fez grande em nossa região. 

Foto: Divulgação 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]