Testes de hepatite B e C serão intensificados em Frederico Westphalen nesta semana

Entre os dias 25 e 29 de julho, diversas ações serão realizadas em todo país para marcar o Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais, comemorado em 28 de julho (quinta-feira). As atividades têm foco na promoção de trabalhos de educação preventiva e oferecimento de testes para diagnóstico das Hepatites B e C.

Em Frederico Westphalen o SAE (Serviço de Assistência Especializada em HIV/AIDS e Hepatites Virais), juntamente com com as Unidades de Saúde dos Bairros São Francisco de Paula, Jardim Primavera, Aparecida e Pacs (Programa de Agentes Comunitários de Saúde), no Posto Central, estarão intensificando as testagens à população durante esta semana. Além dos testes rápido de Hepatite B e C, também estarão sendo ofertados os testes de HIV e Sífilis. Para a realização dos testes não é necessário possuir requisição médica. Menores de idade também podem fazer o exame, porém devem estar acompanhados dos pais. O atendimento nos postos de saúde ocorre das 8h às 11h30 e das 13h às 17h.

Saiba mais sobre as Hepatites Virais

As Hepatites Virais têm grande representação na saúde pública brasileira considerando-se o número de indivíduos atingidos e a possibilidade de complicações das formas agudas e crônicas. De modo geral as hepatites virais B e C, podem ser transmitidas através de relação sexual sem preservativo, pelo uso compartilhado de agulhas, seringas, navalhas, materiais para manicure e pedicure, aparelhos de barbear, por equipamentos não esterilizados em procedimentos médico-odontológicos, tatuagem, colocação de piercing e acupuntura. A mãe infectada com o vírus da hepatite B também pode transmitir a doença para o bebê.

A infecção pelo vírus da Hepatite B é transmitida principalmente pelo sangue e por via sexual (é uma DST- Doença Sexualmente Transmissível), apresentando cronificação em 5 a 10% dos casos em adultos. Também pode ocorrer transmissão vertical, da mulher gestante para a criança. Os indivíduos com infecção crônica apresentam risco de doença hepática avançada (cirrose, câncer de fígado) após um período variável de tempo, cerca de 10 a 30 anos.

Quanto à Hepatite C, sua transmissão ocorre principalmente pelo sangue, sendo a via sexual possível, mas pouco frequente.  A coexistência de outras DST e a exposição sexual com múltiplos parceiros sem preservativos constitui-se um facilitador desta transmissão. Cerca de 70 a 85% dos infectados com o vírus da Hepatite C adoecem e 20% desses poderão evoluir para cirrose, após um período de 20 a 30 anos. Esta evolução pode ser acelerada quando associada a alguns fatores de risco, como coinfecção com o vírus da Hepatite B ou com o HIV e ingestão de álcool. Os pacientes com cirrose apresentam um risco acrescido de desenvolvimento de câncer de fígado.

Foto: Divulgação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]