Operação Arca de Noé desarticula quadrilha de Jogo do Bicho que agia em mais de 70 cidades, entre elas FW

Foi deflagrada na tarde desta quinta-feira, 22, a Operação Arca de Noé, que combateu crimes de lavagem de dinheiro, exploração de jogos de azar e jogo do bicho em diversas cidades do Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Foram cumpridos na ação quatro mandados de prisão preventiva e 43 de busca e apreensão, sendo cinco em Constantina, um no município de Estação e 37 em Erechim. Participaram da operação 135 policiais militares, bem como 12 agentes do Gaeco/MP.

A operação foi coordenada pelo Promotor Criminal de Erechim Gustavo Burgos e contou com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e da Brigada Militar. Um dos chefes do esquema criminoso, Mauri Carlos Alba, foi preso em Constantina. O outro operador do grupo criminoso em Erechim, Alcione Boni, foi preso em Erechim.

A organização criminosa que foi desarticulada gerenciava as ações através de um escritório localizado no município de Constantina, abrangendo cerca de 70 cidades, dentre elas Florianópolis/SC, Novo Hamburgo, Passo Fundo, Erechim, Marau, Santo Ângelo, Frederico Westphalen, Palmeira das Missões, Sarandi e Não-Me-Toque, contando com aproximadamente 120 terminais eletrônicos para apostas no jogo do bicho.

Os integrantes da organização criminosa possuíam empresas de fachada, bem como intensa movimentação financeira, através de transações de imóveis em nome de terceiros. Estima-se que a organização movimentava cerca de meio milhão de reais por mês. Durante as investigações foram apreendidos diversos equipamentos para a prática de jogo do bicho e máquinas caça-níqueis.

Conforme Gustavo Burgos, após a constatação de reiterados ilícitos de jogos de azar e jogo do bicho praticados especialmente no município de Erechim, foi montado uma força tarefa entre a Brigada Militar e o Ministério Público, com o objetivo de intensificar e aprofundar as investigações. “Foram mais de quatro meses de investigações, que permitiram identificar complexa organização criminosa que praticava contravenções penais, bem como dissimulava a origem dos valores provenientes de infração penal, praticando o crime de lavagem de dinheiro”, apontou o Promotor.

A.I/Ministério Público

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]