Mais de 20 pessoas já foram ouvidas no caso da contadora desaparecida

Uma testemunha ouvida pela Polícia Civil de Palmeira das Missões, garantiu que Sandra Mara Lovis Trentin, de 48 anos, estacionou a caminhonete Ford Ranger que dirigia no local em que o veículo foi encontrado. A contadora, moradora de Boa Vista das Missões e mulher do presidente da Câmara de Vereadores do município, Paulo Ivan Landfeldt, está desaparecida desde a manhã do dia 30 de janeiro. Nesta segunda-feira (19), a polícia recebeu o reforço de agentes de outras delegacias para auxiliar na investigação. 

— Quem deixou a caminhonete na Rua Rio Branco foi ela. Uma testemunha viu ela em pé ao lado da porta do veículo — afirma a delegada Cristiane Van Riel, que conduz a investigação do desaparecimento. 

A moradora tinha saído para colocar o lixo na rua quando viu uma mulher, que depois identificou aos policiais como sendo Sandra. Como não prestou muita atenção, ela não soube informar se havia outra pessoa na caminhonete. A informação é importante para a polícia porque não havia certeza até então de que a contadora era quem dirigia o veículo no local em que ele foi deixado. 

— Ela sabe que viu a Sandra, mas não sabe se havia outra pessoa com ela — diz a delegada.

O veículo foi encontrado no começo da tarde do dia 30. Dentro dele estavam a bolsa de Sandra, os chips e o cartão de memória do celular, que não foi encontrado, além de outros pertences. Na sexta-feira (16), a caminhonete passou por uma segunda perícia em busca de vestígios de material genético. A primeira perícia foi realizada um dia após o desaparecimento para procurar impressões digitais. Esse primeiro levantamento ainda não teve resultado. 

Desde então a polícia ouviu mais de 20 pessoas para tentar entender como estava a vida pessoal e profissional de Sandra. Segundo a delegada, a única hipótese descartada é a de sequestro, já que não houve pedido de resgate. As demais possibilidades, como um possível homicídio ou mesmo o desaparecimento intencional, seguem sendo investigadas. O fato do veículo não ter sido levado e de haver dinheiro dentro do carro tornam menos provável a hipótese de latrocínio (roubo com morte). 

— O que nós temos é um quebra-cabeça com várias linhas investigativas. A polícia tem vasculhado a vida da contadora em busca de algum fato que possa justificar o desaparecimento, seja por vontade própria ou por ter sido vítima de um crime — explica a delegada.

Na sexta-feira a delegada falou sobre o caso em coletiva de imprensa.

Segundo o delegado regional, Carlos Beuter, a delegacia de Palmeira das Missões trabalha atualmente com cerca de 30% do efetivo necessário. Por isso, uma equipe de investigadores de outras delegacias vai auxiliar no caso. Quem tiver informações que possam ajudar na investigação deve entrar em contato pelo telefone (55) 3742-1047. Não é preciso se identificar para passar informações. 

ZH

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]