Caso Kiss: MP solicita que sócio da boate seja julgado em Santa Maria

O Ministério Publico (MP) oficializou, na tarde desta terça-feira, 21, que entrou com recurso no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, em caráter liminar, solicitando que o empresário e sócio da boate Kiss, Elisandro Spohr, seja julgado em Santa Maria. Os réus Mauro Hoffman, também sócio da boate, Luciano Bonilha Leão, integrante da banda Gurizada Fandangueira e Marcelo de Jesus dos Santos, vocalista do grupo, serão julgados no município.

Na semana passada, o TJ marcou para 16 de março, no Centro de Convenções da Universidade Federal de Santa Maria, o júri dos três no município. Contudo, o julgamento de Spohr está previsto para ocorrer em Porto Alegre desde que o TJ aceitou, em dezembro de 2019, o pedido de desaforamento (transferência do local do julgamento) feito pela defesa.

A defesa de Marcelo de Jesus dos Santos também entrou com pedido de desaforamento, solicitando que o réu fosse julgado em Porto Alegre, mas o pedido foi negado, em caráter liminar, pelo desembargador Honório Gonçalves da Silva. Agora, a solicitação de desaforamento deve entrar na pauta da câmara do Tribunal de Justiça, mas ainda não há data para que isso ocorra. 

O MP reforçou que utilizará dos meios jurídicos possíveis para que o julgamento de todos os réus ocorra em Santa Maria, mas priorizando que seja ainda neste ano:

— Nosso entendimento segue sendo de que o júri ocorra em Santa Maria para todos os réus. Entramos com recurso, seguiremos defendendo isso, mas também não queremos atrasar o júri. Queremos manter a data do dia 16 de março — disse o subprocurador para assuntos institucionais do Ministério Público, Marcelo Dornelles.

 

 

*Com informações de Gaúcha ZH
(Camille Wegner/Agência RBS)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]