Secretária Arita diz que RS está preparado para iniciar vacinação em janeiro

A secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann, afirmou nesta quarta-feira, 13, que o Rio Grande do Sul está preparado para iniciar a vacinação contra a covid-19 na segunda quinzena de janeiro, como projeta o Ministério da Saúde. Segundo ela, as primeiras doses serão aplicadas em profissionais de saúde que atuam no enfrentamento ao vírus.

Arita se reuniu nesta quarta com técnicos e diretores da pasta para tratar do detalhamento do plano estadual de vacinação, que está sendo elaborado desde dezembro. No momento, ainda não há definição para a data de início da campanha e a quantidade de doses a ser enviada aos Estados. “Assim que a vacina chegar ao Rio Grande do Sul, já temos estrutura e planejamento para iniciar a vacinação”, disse.

A secretária destacou que o Ministério planeja adquirir todas as vacinas liberadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e distribuir as doses de forma igualitária entre os Estados, o que, segundo ela, também acontecerá no RS, com os municípios gaúchos recebendo quantidades proporcionais às suas populações.

O Plano Nacional de Imunização indica que os grupos prioritários para receberem a vacina são profissionais na linha de frente em contato direto com o vírus, idosos em lares de longa permanência, idosos fora desses lares escalonados por faixa etária (mais de 80 anos; de 75 a 79 anos; de 70 a 74 anos), indígenas e quilombolas. A estimativa é que cerca de 1 milhão de pessoas façam parte dessas populações.

“Como a quantidade a ser recebida inicialmente talvez não seja suficiente para aplicar as doses em toda essa população de uma vez, teremos de adotar critérios. De qualquer forma, se tivermos que fazer escolhas, os primeiros a receber serão profissionais que trabalham diretamente no atendimento a pacientes covid. Teremos que nos adequar à quantidade disponível”, disse Arita.

A secretária destacou também que o RS terminou 2020 com um estoque de 4,5 milhões de seringas e agulhas que adquiriu mais 10 milhões de itens, o que permitirá o atendimento da demanda de vacinação contra a covid-19 e outras doenças, como gripe, sarampo e todo o calendário básico de vacinação. Destacou também que o Estado possui 96 câmaras refrigeradas para armazenamento das de imunizantes e 1,8 mil salas de vacinas, assim como poderá deslocar profissionais para a aplicação em lares de idosos e em casos em que as pessoas tenham dificuldades de locomoção.

 

*Sul 21 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]