Operação Boa-Fé: Promotores falam sobre ação

Os Promotores de Justiça Marcos Eduardo Rauber (D) e José Garibaldi Evangelho Simões Machado (E), responsáveis pela Operação Boa-Fé, desencadeada na manhã desta quinta-feira, dia 04, que cumpriu 12 mandados de busca e apreensão em cinco Prefeituras gaúchas e sete empresas do ramo de construção civil sediadas no município de Palmitinho, cujos representantes são suspeitos de se associarem para fraudar licitações, concederam entrevista nesta tarde para falara sobre da Ação.

Segundo apurado nas investigações, as fraudes licitatórias ocorrem na região pelo menos desde 2011, por meio de cartel organizado por empresários do setor, vários vinculados a uma mesma família, os quais participavam conjuntamente das licitações e combinavam previamente os preços das propostas, objetivando direcionar os resultados dos certames em favor de empresas do grupo e eliminar a concorrência, como explicou o Promotor Marcos Eduardo Rauber.

Conforme os Promotores, pessoas ligadas as empresas seriam inclusive os responsáveis técnicos de prefeituras. De acordo com informações obtidas no Tribunal de Contas, somente no período de 2012 a 2014, empresas do grupo investigado receberam aproximadamente 76 milhões e em um dos municípios investigados, no ano de 2014, foram comprometidos mais de 12% da receita arrecada.

As investigações continuarão mediante a análise do material apreendido com a participação do Tribunal de Contas do Estado.  Os municípios investigados são Palmitinho, Palmeira das Missões, Iraí, Saldanha Marinho e Vista Alegre.

Segundo o Promotor José Garibaldi as empresas suspeitas das fraudes são ligadas ao grupo Bonafé. Uma prisão cautelar foi cumprida.

Ouça a entrevista coletiva completa:

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]