Vereadores realizam visita para conhecer trabalho e demandas da Apae

Com o intuito de conhecer de perto o trabalho desenvolvido pela Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae), de Frederico Westphalen, a Mesa Diretora da Câmara de Vereadores realizou, recentemente, uma visita até a sede da entidade. Na oportunidade, o presidente do Legislativo, Leandro Mazzutti; o vice-presidente, Belonir Vendruscolo; o primeiro-secretário, Jorge Alan Souza e o segundo-secretário, Raul Pazuch da Silva, participaram de bate-papo com o presidente da Apae, Chester Franciscatto, e a diretora Jussania Basso Bordin. A iniciativa integrou o Projeto Diálogos, criado no ano passado e que tem como objetivo ouvir as demandas da comunidade, empresas, entidades e instituições de FW.

 

Apae conta com cerca de 170 usuários, mas números crescem semanalmente

Atualmente, a Apae de FW conta com aproximadamente 170 usuários, entre alunos matriculados somente na instituição e discentes que frequentam outras escolas, mas vão para a Apae no contraturno, e ainda aqueles que apenas buscam atendimentos em saúde na entidade. “O número tem aumentado semanalmente. Temos fila de espera e toda semana entra novos usuários”, afirma Franciscatto.

A entidade recebe alunos de FW e mais cinco municípios e é mantida por meio de convênios com as prefeituras da região e repasses do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). “Estes recursos do Fundeb nos ajudam com a manutenção da estrutura e pagamento da folha, mas não podemos aplicá-los em outras necessidades, que não seja na educação. Agora com o programa ‘Te Acolhe’ precisamos construir mais três salas, só não podemos usar destes repasses. O que nos falta é recursos livres, por isso estamos sempre fazendo ações com a comunidade para angariarmos fundos, como a Feijoada, os calendários, rifa, estacionamento da Expofred, o Café Colonial, enfim inúmeras atividades e eventos”, explica Jussania.

Ainda sobre os valores do Fundeb, a diretoria disse que está tentando buscar com o Executivo Municipal um acordo para que os repasses do Fundo possam ser destinados à Apae desde o mês de janeiro e não a partir da metade do ano, para não comprometer o primeiro semestre. “Geralmente precisamos utilizar, neste período, dos nossos recursos livres para a folha de pagamento e depois não conseguirmos nos ressarcir, então para nós seria melhor que os repasses do Fundeb do município começassem no início do ano, como o Estado faz”, comentou o presidente da Apae.

 

Centro Regional de Referência (Programa Te Acolhe)

Durante a visita também foi comentado sobre o Centro Regional de Referência (Programa Te Acolhe), que está sendo desenvolvido pela entidade. “A Apae fará um trabalho de triagem das pessoas com transtorno do espectro autista a partir de visitação aos 26 municípios da 2ª Coordenadoria Regional de Saúde. Não serão atendimentos diretos a pessoa, mas de assessoria, encaminhamento e capacitação profissional, pois não temos condições de atender ao todo esse público, que cresce semanalmente. Não temos estrutura física e tão pouco estrutura humana para isso. Então, será feita a triagem e encaminhamentos para outras instituições especializadas”, frisou Jussania.

Demandas de infraestrutura

Durante o encontro, foram dialogadas sobre diversas demandas da Apae, especialmente de infraestrutura, dentre elas, pavimentação no espaço da Equoterapia, na linha Faguense; construção de novas salas e de um muro na divisa do terreno da entidade, espaço que vem sendo comprometido com o passar dos anos com desmoronamentos de terra.

Ao fim da visita, o Poder Legislativo se colocou à disposição da Apae para auxiliar no que for possível. “Enviaremos um ofício do Executivo para cobrar mais agilidade nos repasses do Fundeb e também veremos se tem como auxiliarmos a entidade com recursos das ‘sobras’ do orçamento da Câmara”, comentaram os edis.

 

 

Comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]