Uma Colina de Histórias

Foram sete anos de uma parceria de muita história. Foram sete anos com sorrisos, choro de felicidade e de raiva,  lágrimas ora de alegria, ora de tristeza, seis anos de uma relação inesquecível. É difícil desassociar União Frederiquense do Vermelhão da Colina, mas ao que parece a partida entre União e Panambi na última segunda-feira ficará para a história como a última disputada no velho estádio  pertencente ao E. C. Itapagé.

Desde o inicio de sua vida no futebol profissional o União Frederiquense manda seus jogos no Vermelhão, mas em 2018 irá inaugurar sua nova Arena, localizada na Linha Faguense. O caminho dos domingos de jogos não será o mesmo, e o destino mudará de endereço.

Foto: Leandro Kempka\Alto Urugua

 

Até logo Vermelhão

Em sete anos o clube de Frederico Westphalen jogou oficialmente 80 vezes por quatro competições diferentes no estádio João Pastre, o Vermelhão da Colina. Ao todo foram 34 vitórias, 18 derrotas e 28 empates, números que mostram a identificação do time com o estádio. O primeiro jogo aconteceu no dia 27 de fevereiro de 2011 contra o Santo Ângelo em partida  válida pela divisão de acesso daquele ano, o jogo terminaria com vitória do time frederiquense por 2 a 1,  e coube a Fabiano Veiga o primeiro gol do Leão nos gramados da colina:

O gol de Fabiano marcou o começo de uma rotina. A cada dia de União em campo na Colina milhares de torcedores saiam de casa para se apresentarem apostos nas arquibancadas do estádio. A relação do torcedor com o time e com o estádio se intensificou com o passar do tempo, principalmente quando a equipe  mais necessitou, tanto que a média de público nas competições sempre foi uma das maiores entre os times da região. Com capacidade para aproximadamente 4.500 torcedores, o Vermelhão pulsou quando era preciso e soube animar a equipe, mesmo assim, o União Frederiquense sempre carregou o estigma de jogar melhor longe de seus domínios. Entretanto, essa característica não tirou do Vermelhão momentos de grande emoção. 

Estádio cheio sempre foi marca do Vermelhão

Em 2014 o time não começou bem a temporada, acumulou derrotas e vivia uma situação critica, correndo risco até de rebaixamento, mas de novo o Vermelhão foi palco de um momento importante. Em jogo contra o Tupi de Crissiumal o União  então comandado pelo técnico Rodrigo Bandeira necessitava de uma vitória para escapar do rebaixamento e ao mesmo tempo conseguir a classificação para a próxima fase.

Em jogo duro o empate persistia até os 48 minutos da segunda etapa, quando o zagueiro Jésum  em bola alçada na área subiu mais alto para de cabeça marcar o gol. O próprio zagueiro comenta que a emoção foi grande e inesquecível:

No mesmo ano o União alcançaria sua maior glória, depois de tantas tempestades naquela temporada, a barca frederiquense não afundou, ao contrário, conquistou umas das vagas para a primeira divisão.

 

E teve Colina no Gauchão

Em 2015, o União estava entre os grandes e o Vermelhão recebeu as maiores equipes do estado, inclusive o Internacional, que na ocasião venceu por 1 a 0. Ao final da competição o Leão foi rebaixado e  conquistou apenas uma vitória, quis o destino que fosse dentro de casa. Contra o Juventude  Lenilson marcou o único gol do jogo:

Ainda em 2015 o União conseguiu o seu primeiro e único titulo até então, conquistando a divisão Norte da Copa Valmir Louruz para a alegria de quem ainda não havia presenciado uma volta olímpica.

De volta para a Divisão de Acesso em 2016, o União Frederiquense seguiu com o Vermelhão ao seu lado, às vezes lotado, às vezes nem tanto. Nesse ano de 2017 todos já sabiam, a relação estava chegando ao final, ou pelo menos a um “até logo Vermelhão”.

A despedida chegou (Foto: Dayana Giacomini)

 

A despedida

O jogo na última segunda-feira dia 1° de maio de 2017 contra o Panambi pela 13ª rodada da divisão de acesso não valia muito para o time da casa e o público não foi dos maiores, mas a história contará que  assim como Jésum,  Joãozinho aos 48 minutos do segundo tempo entrou livre na cara do goleiro, que ao ser driblado pelo meia frederiquense viu do chão  aquele que pode ter sido o último gol do União no Vermelhão da Colina.

Talvez  algum dos 499 espectadores presentes nesse último jogo no velho estádio tenham presenciado o jogo entre União e Juventus de Santa Rosa com placar final de 5 a 1 para os visitantes, maior derrota do Leão jogando em casa, e talvez outro torcedor tenha presenciado as vitórias contra Canoas e Palmeirense, ambas por 4 a 0, maior placar conquistado pelo time em seu território, o que se pode afirmar é que eles estarão juntos na nova casa, na Toca do Leão, palco do destino final de uma nova rotina que se iniciará logo mais. 

Foto: Jornal O Alto Uruguai

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]