Sedac apresenta balanço de 2020

A Secretaria de Estado da Cultura (Sedac) divulgou ontem um balanço das ações desenvolvidas pelo fomento à Cultura no RS. Em coletiva virtual, a secretária Beatriz Araujo, apresentou as realizações da pasta em 2020. Também participaram a secretária adjunta, Gabriella Meindrad, a assessora especial de Artes e Economia Criativa, Ana Fagundes, o assessor especial de Memória e Patrimônio, Eduardo Hahn, o diretor de Fomento, Rafael Balle, a diretora administrativa, Luana Ribas, o presidente da Fundação Teatro São Pedro, Antonio Hohlfeldt, e o diretor-artístico da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, Evandro Matté.

Um destaque do ano foi a aplicação da Lei Aldir Blanc, criada para socorrer trabalhadores da Cultura durante a pandemia. A Sedac manejou mais de R$ 74 milhões em recursos, distribuídos entre renda emergencial e a realização de editais, prêmios e outros mecanismos de fomento. Foram selecionadas três entidades parceiras para executar editais em 2021, com recursos da Lei Aldir Blanc. A 5ª Conferência Estadual de Cultura, dedicada à discussão da Lei, também foi pauta. A realização dos dois primeiros ciclos resultou em 17 sessões online, alcançando, respectivamente, 80 e 78 mil pessoas.

Durante a apresentação, Beatriz destacou que a Lei Aldir Blanc descentralizou os recursos e ampliou o número de trabalhadores aptos a participar dos financiamentos. O diretor de Fomento, Rafael Balle, enfatizou que, segundo números dos primeiros editais, dois a cada cinco contemplados são novos produtores culturais, cadastrados recentemente. “Precisamos potencializar essa mobilização que já estamos conseguindo desenvolver. A sequência de ações da Sedac na área do fomento certamente vai ampliar os resultados. A participação social tem que continuar”, frisou Balle.

Foi feita uma reformulação no Pró-cultura, com mudanças que tornaram seu funcionamento mais moderno, ágil, transparente e desburocratizado. Por meio dele, foi realizado o edital FAC Digital, em parceria com a Universidade Feevale. Voltado para a produção de conteúdos culturais digitais, promoveu o financiamento de 1940 projetos dos mais diversos campos. Foram R$ 44 milhões investidos até dezembro, por meio da Lei de Incentivo à Cultura (LIC) e do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) – um volume recorde de investimentos. “Nossa ideia para 2021 é oferecer condições de trabalho com mais investimento no FAC e na LIC”, afirmou Beatriz. Ela citou os investimentos realizados na Cultura, por meio de recursos do Tesouro do Estado, de emendas parlamentares, editais públicos e patrocínios, garantindo a manutenção da Sedac e a qualificação de seus espaços culturais.

A pasta também atuou no auxílio social a trabalhadores da Cultura com o projeto “Ventos de Solidariedade na Travessa dos Cataventos”, com cestas básicas a artistas, técnicos e produtores culturais. Outra ação foi “Banheiros sem preconceito: respeitando a diversidade”, em janeiro, mês da Visibilidade Trans, que promoveu a sinalização inclusiva nos banheiros da Secretaria, bem como a criação de um banheiro unissex. Foram apresentados os projetos virtuais, como o “Dia Estadual do Patrimônio Cultural”, o “I Festival Cinema Negro em Ação”, “Mistura Fina” e “Ospa Live”. A secretária adjunta, Gabriella Meindrad, destacou que a Sedac pretende dar sequência aos projetos que promovam inclusão e diversidade. Para Beatriz, 2020 se encerra de forma positiva. Para os próximos anos da gestão, o plano é consolidar todo o trabalho já feito. “Queremos fortalecer o que conseguimos construir nos primeiros dois anos, em termos de participação de artistas, de aproximação com os municípios e com o Conselho Estadual de Cultura”, concluiu.

 

*Correio do Povo

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]