Secretaria da Saúde reforça ações de combate à dengue em Erval Seco e Novo Tiradentes

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) dá início, nesta semana, a uma força-tarefa de combate à dengue na Região Norte do Estado, especificamente direcionada aos municípios de Erval Seco e Novo Tiradentes. As duas cidades tiveram registrados, até o último dia 25 de abril, 95 casos autóctones de dengue, ou seja, quando a doença é contraída dentro do Estado. No total, o RS já teve 456 casos autóctones da doença confirmados.

A partir desta segunda-feira (04), o Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) começa a definir ações na região para o combate ao mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti. Para isso, foi composta uma equipe de sete agentes e técnicos do Estado. O trabalho inclui a utilização de dois equipamentos de pulverização de inseticida costais e uma máquina acoplada a uma camionete (conhecida como fumacê) para o borrifamento do composto químico nas áreas onde foram identificados os casos. Equipamentos de proteção individual, como máscaras e aventais, também foram enviados à região.

As medidas serão programadas em uma reunião nesta segunda-feira (04) à tarde na 19ª Coordenadoria Regional de Saúde, com sede em Frederico Westphalen. Na terça e na quarta-feira, a equipe do Estado também se reúne com os secretários municipais e responsáveis pela vigilância da dengue em Erval Seco e Novo Tiradentes, respectivamente. Durante os próximos dois dias também haverá supervisão dos trabalhos de campo desenvolvidos pelos municípios.

O processo coordenado pelo Cevs no Norte é semelhante ao que foi iniciado desde março na Região Noroeste, onde oito municípios somam 334 casos autóctones de dengue distribuídos principalmente em Caibaté (229 casos), Santo Ângelo (55 casos) e Panambi (38).

A força-tarefa tem como meta melhorar sensivelmente as medidas de combate à dengue, procurando a diminuição dos potenciais recipientes para o desenvolvimento das larvas do inseto e, consequentemente, os casos da doença. Além das medidas que as autoridades realizam, a população também tem papel importante de prevenção. Alguns cuidados simples podem ser tomados por todos em suas residências e pátios para evitar o acúmulo de água parada, que é onde o inseto se reproduz. Entre as principais recomendações, destacam-se:

– Tampar caixas d’água, tonéis e latões,

– Guardar garrafas vazias viradas para baixo,

– Guardar pneus sob abrigos,

– Não acumular água nos pratos de vasos de plantas e enchê-los com areia,

– Manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises,

– Manter lixeiras fechadas e

– Manter piscinas tratadas o ano inteiro.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]