População ainda tem dúvidas sobre sintomas da dengue

Infelizmente há quem pense que o vírus da Dengue não é tão nocivo assim às pessoas que o contraem, que bastam alguns dias de repouso que tudo volta ao normal. No entanto, é preciso redobrar os cuidados, pois além de contrair a dengue clássica, o indivíduo está sujeito a contrair a dengue hemorrágica que apresenta risco de óbito.

Tanto se fala em conscientização, mas é preciso tomar ciência de que o momento que o município está vivendo exige muito mais do que apenas palavras informando o que deve ou não ser feito, é hora da população assumir os seus quintais, e agir em prol da eliminação dos criadouros do mosquito.DSC_1812 editada

Já são 85 casos confirmados de dengue em Frederico Westphalen, e aproximadamente 150 casos suspeitos aguardando o resultado dos exames. O enfermeiro Rafael Antônio Rodrigues contraiu a doença e conta como foi a experiência nada agradável. “Na quinta-feira, no serviço, comecei a não me sentir muito bem, fui olhar a minha temperatura e vi que estava com ela alta, e foi ai que iniciou. Tomei medicamento e fui pra casa após o meu plantão, chegando em casa, continuava com a temperatura alta. Não peguei a dengue no hospital, peguei em casa, porque por mais que a gente cuida do terreno que a gente tem, os vizinhos também tem que cuidar; e onde eu moro tem dois terrenos baldios, na frente e atrás de casa, e esses dois terrenos não são limpos, tem banhado, então foi ai que peguei a dengue. Começou com a febre, náusea, vômito, diarréia, manchas pelo corpo, dor de cabeça, dor no corpo, nos olhos. Fiz exames, e nos primeiros deu os leucócitos baixos e depois acabei internando pra me hidratar, porque eu não estava conseguindo comer nada, eu emagreci 6kg, fiquei dois dias internado no hospital. Fiquei uma semana com os sintomas intensos, mas ainda sinto os sintomas, tenho dor de cabeça, dor no corpo”, explica Rafael.

Apesar da quantidade de informações veiculadas em relação à dengue, ainda há muitas dúvidas, principalmente em relação aos sintomas do quadro viral. Para esclarecer esses questionamentos a médica Maria Silene Salado Borges, do Posto de Saúde do Bairro Santo Antônio, alerta para os perigos da dengue, pois muitas vezes os sintomas são leves, e a doença pode até mesmo passar despercebida. “Os principais sintomas da dengue são dor de cabeça, dor nos olhos, febre, muita dor nas articulações, conhecida como dor ‘quebranta ossos’ porque é uma dor muito, muito forte. Pode dar também diarréia, dor abdominal. No entanto, nem todas as pessoas tem os mesmos sintomas, e a mesma intensidade. Já tivemos casos positivos de dengue em que a pessoa não tinha praticamente nenhum sintoma. Então, se começar com febre, dor de cabeça, e dor nas articulações, mesmo sendo leves, já pode ser que seja dengue. Se tem febre e mais dois sintomas, dor de cabeça, dor nos olhos ou dor nas articulações, já se pode fazer um diagnóstico”, enfatiza a médica.

A dengue exige cuidados, pois uma vez contraída, o corpo torna-se imune aquele tipo de vírus, e o próximo contágio provavelmente já não será do mesmo tipo, como explica Maria. “O corpo somente cria imunidade pra um tipo de vírus, mas não cria imunidade para os outros. A pessoa pode ter dengue clássica hoje, passar o ciclo, e daqui a dois meses ter de novo e essa segunda vez será dengue hemorrágica. Tem pessoas que pensam que ‘apenas na terceira ou quarta vez que contrair dengue será hemorrágica’, mas isso não é verdade, porque depois de pegar um tipo de dengue a pessoa fica imune aquele tipo; então se a primeira vez foi dengue clássica, na segunda já será hemorrágica, e há os que já contraem a dengue hemorrágica da primeira vez e posteriormente a clássica”, afirma a médica.

A Dengue hemorrágica apresenta um quadro sintomático mais grave e exige cuidados redobrados. “A dengue hemorrágica causa sangramento em todos os lugares, até onde tu botar a hidratação na veia, irá sangrar por esse lugar, nos olhos, nariz, boca, e também haverá sangue na urina, nas fezes, por todos os lugares. Não podemos descartar a possibilidade de haver dengue hemorrágica em nosso município, os pacientes estão respondendo bem ao tratamento, mas a prevenção não está sendo levada a sério como deveria, então é muito provável que esses que já tiveram, e que acreditam que não vão ter de novo, poderão ter neste caso a dengue hemorrágica, porque tem muita dengue nos bairros”, conclui Maria.

A Dengue ainda parece uma realidade distante de muita gente, e ninguém espera contrair o vírus, como relata o enfermeiro Rafael. “Eu não esperava pegar dengue, porque a gente se cuida bastante, mas é uma coisa que está aí, uma doença que está aí, mas que o pessoal ainda não está ciente do que ta acontecendo. O que eu digo pras pessoas é que se cuidem, usem repelente e limpem seus terrenos, e cuidem pra não sujar o dos outros também”, ressalta Rafael.

A orientação é sempre a mesma, que se busque eliminar os criadouros do mosquito e evitar a automedicação. “Infelizmente a dengue se parece com muita coisa, pode ser até confundida com uma gripe no estágio inicial, e nem todas as pessoas tem os mesmos sintomas, então é preciso ficar atento”, destaca a médica.

“O pessoal tem que se conscientizar, porque essa é uma doença que pode matar”, afirma Rafael, após sentir na pele o que é contrair esse vírus que está tomando proporções cada vez maiores.

ASCOM Prefeitura de FW

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]