Operação da Polícia Civil prende três pessoas em Tenente Portela

Na manhã desta terça-feira, 19, a Polícia Civil (PC) de Tenente Portela, com apoio de outras Delegacias da 22ª região policial, cumpriu mandados de busca e apreensão em 11 residências do município e realizou três prisões. Quatro Delegados de Polícia e 12 agentes participaram da operação, denominada Nômade. A operação foi direcionada ao combate à comercialização de drogas ilícitas, em especial o crack.

Segundo a Polícia Civil, foi preso um casal de mulheres residente no bairro Operário, uma delas natural de Tenente Portela, de 33 anos, com passagem por tráfico de drogas e crimes contra o patrimônio. A mulher estava sendo investigada desde março deste ano, período em que foram realizadas buscas e comprovação da prática da comercialização de drogas, com apreensões de pedras de crack, depoimento de usuários, imagens de pessoas fazendo a compra, entre outras ferramentas técnicas.

Conforme a PC, durante as investigações foram identificados pelo menos mais dois locais de comercialização de drogas sob a gerência da mulher, entre eles o bairro Mutirão, onde foi presa uma segunda suspeita, de 42 anos, que fazia a distribuição naquele local. No setor indígena de Pedra Lisa também era um ponto de vendas e um homem de 26 anos que comercializava no local está sendo procurado.

De acordo com a polícia, a própria investigada buscava drogas de ônibus em Foz do Iguaçu-PR para comercializar em Tenente Portela. Verificou-se ainda o vínculo dela com um apenado que cumpre pena por tráfico de drogas na penitenciária de Montenegro, o qual, do interior do estabelecimento, preparava o acesso da investigada aos traficantes da região metropolitana para buscar e colocar em Tenente Portela.

A companheira da traficante, natural de Redentora, com 28 anos de idade, foi presa porque estava associada na comercialização, e nas ameaças de mortes a pessoas devedoras. Recentemente, usuários perderam tudo ou parte da mobília de suas casas em pagamento de dívidas com as traficantes, outros usuários estavam a subtrair bens alheios para os pagamentos. Um deles, que mora no centro da cidade, usava como garantia o salário da avó de 84 anos para comprar a droga no crediário.

O Delegado Roberto Fagundes Audino, responsável pelas investigações, aposta na diminuição do fluxo de crack em Tenente Portela, já que os principais distribuidores foram presos, e deverá ter reflexo também nas estatísticas de furtos e roubos.

Durante a operação foram apreendidas drogas, dinheiro e celulares. A quantia de drogas apreendidas e o valor em dinheiro não foi divulgado.

Conforme a polícia, a operação foi batizada de Nômade porque a principal investigada trocava de endereço com muita frequência. Durante o período investigado, ela chegou a mudar de moradia por quatro vezes.

Portela Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]