Menina de Ametista do Sul teve perna amputada após ingerir larva de taturana

Uma menina de 13 anos, moradora de Ametista do Sul, no noroeste do estado gaúcho, teve uma das pernas amputada após ingerir uma larva de taturana.  Glenda da Silva Rodrigues, ingeriu a larva que estava dentro de uma amora. O incidente ocorreu na localidade de Barreirinho, interior do município. O pé da fruta fica em frente à casa da avó da menina e, segundo a criança, ela e seus três irmãos costumavam se alimentar das frutas frequentemente.  As outras crianças têm idades de 11, 08 e 05 anos. Apenas Glenda passou mal.
No final do mês de setembro, a menina teve que ser internada após apresentar vários sintomas. Na época com 12 anos, a adolescente começou a sentir muita dor de cabeça, na garganta, apresentava vômitos e sentia fraqueza no corpo.
Primeiramente, a mãe Cleni Prestes da Silva, 33 anos, encaminhou a filha ao Hospital São Gabriel.  Após ser medicada, Glenda continuava com os mesmos sintomas e a situação se agravou ainda mais. No dia 25 de setembro, a menina foi encaminhada as pressas ao Hospital São Vicente de Paulo, de Passo Fundo, em estado grave.
De acordo com a mãe, logo que chegaram os médicos medicaram Glenda com um soro para combater o veneno da taturana. Amostras de frutas e taturanas encontradas na árvore foram coletadas e encaminhadas a Passo Fundo para confirmação do caso.
Mas a infecção já havia atingido todo o corpo da adolescente, que apresentava marcas escuras nos pés, hemorragia e tinha dificuldade de respirar. Após 17 dias internada em Passo Fundo, a situação se agravou e a perna esquerda de Glenda teve que ser amputada devido a infecção. A menina ficou internada por mais de 45 dias em Passo Fundo.
A família, que morava em um garimpo no interior de Ametista do Sul, devido as condições de localização, recebeu da prefeitura uma casa na cidade, facilitando o atendimento médico. Glenda está sendo acompanhada por profissionais do município e indo a Passo Fundo semanalmente. Além de receber curativos todos os dias, psicólogos e fisioterapeutas também prestam atendimento.
A mãe da menina diz que toda a família sofreu com o caso, mas graças a Deus, as orações de amigos, esforço dos médicos e enfermeiras, a filha está viva e melhorando a cada dia. Glenda e a mãe agradecem a todos que prestaram apoio. “Foi uma experiência e que isso possa servir de exemplo para as pessoas ficarem alertas”, disse a mãe.

Sonho:

Glenda estuda na Escola Municipal John Kennedy e, em 2016, irá cursar a 7º série do ensino fundamental. Gremista apaixonada, o sonho da menina é ser jogadora de futebol. Ela conta que é fã do jogador Luan, titular do Grêmio. Entre as brincadeiras preferidas estão jogar bola e andar de bicicleta. Agora, o que mais ela quer é conseguir a prótese para voltar a fazer o que fazia antes. A família aguarda o fim do tratamento para encaminhar o processo da prótese.

Ação colorada: 

O Consulado do Internacional e a Associação Colorada Ametistense realizaram, neste final de semana, a 3º Festa Colorada em Ametista do Sul. Mesmo sendo declaradamente gremista, os organizadores do evento promoveram uma ação a favor de Glenda.
Camisas oficiais do Internacional foram arrecadas e leiloadas na noite do sábado, 12. O valor arrecadado será convertido em ajuda à menina, pois a família necessita. As pessoas que desejarem colaborar podem entrar em contato com a família.  telefone da menina 55 9697-9045

Josias Marques /In Foco RS

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]