Justiça adia decisão sobre transferência do júri do Caso Bernardo

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) cancelou a sessão que aconteceria nesta quarta-feira (15) e que julgaria o pedido de transferência do júri do caso Bernardo Boldrini. De acordo com a assessoria do TJ-RS, o cancelamento ocorreu em virtude que um dos desembargadores ficou doente. Não há nova data definida para apreciação da matéria. 

O desaforamento foi requerido pela juíza Sucilene Engler Werle, titular da Vara Criminal de Três Passos e responsável pelo processo. A magistrada pretende transferir o julgamento dos quatro réus acusados de matar a criança de Três Passos para Porto Alegre. 

– Não há como identificar se algum dos possíveis jurados, que serão sorteados na sessão plenária, não participou das manifestações anteriormente realizadas na cidade; não tenha se manifestado nas redes sociais sobre o fato ou que tenha algum vínculo com as pessoas ouvidas na fase inquisitorial e processual, o que causa a dúvida sobre a imparcialidade do júri – afirmou a magistrada na solicitação encaminhada ao TJ-RS. 

A juíza ainda citou que o Fórum de Três Passos não tem capacidade para comportar júri de grandes proporções.

Relembre o caso

Segundo a investigação da Polícia Civil, Bernardo Boldrini, de 11 anos, foi morto no dia 04 de abril de 2014. No entanto, seu corpo foi encontrado dez dias depois em uma cova no interior de Frederico Westphalen, após uma das acusadas do crime confessar onde a criança foi enterrada.

No dia seguinte a localização do corpo do menino, a Polícia Civil prendeu Edelvânia Wirganovicz, Graciele Ugulini e Leandro Boldrini. O quarto acusado do crime, Evandro Wirganovicz, foi preso em maio de 2014.

Os quatro réus do processo aguardam o julgamento em três penitenciárias gaúchas diferentes.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]