Iraí registra primeiro caso de dengue em 2019

A Secretaria Municipal de Saúde de Iraí confirmou nesta quinta-feira, 21, o primeiro caso de dengue “importada” no município. A doença foi contraída por uma moradora do município que viajou para outro Estado, e ao retornar apresentou os sintomas da doença. A paciente foi medicada e continua sendo monitorada e acompanhada pelos profissionais da Unidade Básica de Saúde.

Este é o primeiro caso de dengue no município, mesmo sendo importado, a Secretaria reforça o alerta para a população tomar os cuidados necessários para evitar a proliferação do mosquito.  

No estado já soma-se 17 casos de dengue confirmados. O boletim do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), divulgado nesta quinta-feira, traz cinco novos casos – todos contraídos fora do Estado.  Do total de casos registrados, quatro são autóctones, ou seja, contraídos em território gaúcho – o que não ocorria desde dezembro de 2017. As contaminações ocorreram em Erval Seco e Marau, no Norte, e em Panambi e Cândido Godói, no Noroeste.  

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a incidência de chuvas e o forte calor facilitam a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, febre amarela, zika vírus e febre chikungunya. No total, 321 municípios gaúchos são considerados infestados pelo mosquito, o que equivale a 64,5% do total.  Também em 2019 foi registrado um caso de febre chikungunya – doença contraída por um morador de Porto Alegre fora do Estado. 

Prevenção

Com hábitos diurnos, o mosquito Aedes aegypti tem, em média, menos de um centímetro de tamanho, é escuro e com riscos brancos nas patas, cabeça e corpo. Para se reproduzir, ele precisa de locais com água parada, onde deposita os ovos. A Secretaria Estadual de Saúde faz recomendações para evitar a reprodução do mosquito:

– Tampar caixas d’água, tonéis e latões.

– Guardar garrafas vazias viradas para baixo.

– Guardar pneus sob abrigos.

– Não acumular água nos pratos de vasos de plantas e enchê-los com areia.

– Manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises.

– Manter lixeiras fechadas.

– Manter piscinas tratadas o ano inteiro.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]