Hospitais da região registram atrasos no pagamento de honorários médicos

A crise econômica que vem atingindo o Estado do Rio Grande do Sul provoca reflexos no sistema de saúde, prejudicando não só a população, mas também os profissionais do setor. Pelo menos 16 municípios gaúchos, de todas as regiões, apresentam atrasos no pagamento das remunerações médicas. As razões passam pela falta de repasses estaduais e das Prefeituras e falta de gestão das administrações dos hospitais. Os atrasos são de, no mínimo, dois meses, e, em alguns casos, ultrapassam seis meses.

O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) acompanha as situações e procura negociar com as administrações a regularização das pendências. Sem receber por meses, os médicos muitas vezes são forçados a suspender suas atividades e acabam sendo responsabilizados pela paralisação dos atendimentos.

“O descumprimento, pelo governo Sartori, da legislação que obriga o Estado a investir 12% da receita na saúde, além da própria entrega por vários hospitais da administração às empresas sem qualificação, tem levado a atrasos na remuneração dos médicos e a substanciais prejuízos à saúde”, destaca o presidente do SIMERS, Paulo de Argollo Mendes.

Assembleia regional 

Assembleia realizada quarta-feira, 17 (Foto: Rádio Fortaleza FM)

Representantes de diversos hospitais da região que abrange Frederico Westphalen, reuniram-se na tarde desta última terça-feira, 17, na Câmara de Vereadores de Palmeira das Missões para debater possíveis soluções à situação financeira das casas de saúde. Além de gestores dos hospitais de FW e Tenente Portela, participaram da assembleia, prefeitos, vices e vereadores, estiveram representando municípios como Rodeio Bonito, Dois Irmãos das Missões, Palmitinho, Erval Seco, Pinherinho do Vale, entre outros.

No encontrou foi definido um comitê, o qual será responsável por representar as ações do movimento em possíveis encontros com autoridades, como deputados estaduais e federais, além do governador José Ivo Sartori. 

Uma nova reunião está prevista para a quinta-feira, 19, às 14 horas, novamente na Câmara de Vereadores de Palmeira das Missões, para discutir mais detalhes sobre a situação financeira dos hospitais. 

Confira a lista dos municípios com atraso de pagamentos para os médicos:

CANOAS

Hospital: Hospital Universitário, Hospital de Pronto Socorro, UPA e CAPs
Motivo: falta de pagamento pela empresa Grupo de Apoio à Medicina Preventiva e à Saúde Pública (Gamp)
Tempo de atraso: um mês (dezembro)

TAQUARI
Hospital: Hospital São José
Motivo: falta de pagamento pela empresa Instituto de Saúde e Educação Vida (ISEV)
Tempo de atraso: oito meses (desde abril/2016)

TAQUARA
Hospital: Hospital Bom Jesus
Motivo: falta de pagamento pela empresa Instituto de Saúde e Educação Vida (ISEV)
Tempo de atraso: três meses (outubro/novembro/dezembro)

SÃO JERÔNIMO
Hospital: Hospital de Caridade
Motivo: falta de repasse do governo do RS
Tempo de atraso: três meses (outubro/novembro/dezembro)

BAGÉ
Hospital: Santa Casa de Caridade
Motivo: falta de repasse do governo do RS
Tempo de atraso: três meses (outubro/novembro/dezembro)

URUGUAIANA
Hospital: Santa Casa de Caridade
Motivo: falta de repasse do governo do RS
Tempo de atraso: três meses (outubro/novembro/dezembro)

SANTANA DO LIVRAMENTO
Hospital: Santa Casa de Misericórdia
Motivo: falta de repasse do governo do RS
Tempo de atraso: três meses (outubro/novembro/dezembro)

TRÊS PASSOS
Hospital: Hospital de Caridade
Motivo: falta de repasse do governo do RS
Tempo de atraso: seis meses

RIO GRANDE
Hospital: Santa Casa de Caridade
Motivo: falta de repasse do governo do RS
Tempo de atraso: três meses (outubro/novembro/dezembro)

TRAMANDAÍ
Hospital: Unidade de Pronto Atendimento 24 horas
Motivo: Falta de repasse da empresa Futura Saúde
Tempo de atraso: um mês

SÃO LOURENÇO DO SUL
Hospital: Fundação Santa Casa de Caridade
Motivo: falta de repasses do governo do RS
Tempo de atraso:  três meses (outubro/novembro/dezembro)

PINHEIRO MACHADO
Hospital: Hospital de Pinheiro Machado
Motivo: atraso no repasse do RS
Tempo de atraso: dois meses (novembro/dezembro)

MORRO REDONDO
Hospital: Hospital Ernesto Maurício Arndt
Motivo: atraso de repasse do governo do RS
Tempo de atraso: dois meses (novembro e dezembro)

SANTA VITÓRIA DO PALMAR
Hospital: Hospital Santa Casa de Misericórdia
Motivo: atraso de repasse do governo do RS
Tempo de atraso: dois meses (novembro e dezembro)

FREDERICO WESTPHALEN
Hospital: Hospital Divina Providência
Motivo: atraso de repasse da Prefeitura
Tempo de atraso: quase dois meses (parte de novembro e dezembro- integral)

SANTO ÂNGELO
Hospital: Hospital de Caridade
Motivo: atraso da gestão do hospital
Tempo de atraso: agosto (metade da parcela); quatro meses (integral – setembro/outubro/novembro e dezembro)

Foto: Divulgação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]