Governo do Estado anuncia volta do ensino presencial na rede estadual

As aulas presenciais na rede estadual gaúcha começam a retornar na próxima terça-feira, 20. De acordo com calendário anunciado pelo governo do Estado na tarde desta quarta-feira, 14, as aulas serão retomadas inicialmente com o Ensino Médio e o Ensino Técnico. No dia 28 de outubro, retorna o Ensino Fundamental (Anos Finais) e em 12 de novembro volta o Ensino Fundamental (Anos Finais). Para garantir a segurança de alunos, professores e funcionários, o governo investirá R$ 15,3 milhões na compra de equipamentos de proteção individual (EPIs).

O retorno ocorrerá seguindo regras sanitárias e de distanciamento. Os estudantes farão um rodízio para evitar que a ocupação das salas seja superior a 50% da capacidade. Para isso, a cada semana metade da turma assistirá às aulas presenciais, enquanto o restante da turma continuará com aulas online. Os alunos com dificuldade em acompanhar as aulas remotamente receberão lições para realizarem em casa.

— Sabemos que muitos pais não mandarão os filhos no início, então a capacidade de até 50% deverá ser respeitada automaticamente. Mas conforme haja maior movimentação, as escolas deverão organizar as turmas — afirmou o Secretário Estadual da Educação, Faisal Karam.

Todos alunos que reiniciarem as aulas presenciais precisarão apresentar termo de responsabilidade assinado pelos responsáveis. Também está definido que avaliações, formatura e celebrações de final de ano serão virtuais. Para viabilizar as medidas de precaução, o governo do Estado investirá R$ 270 milhões na compra de EPIs, materiais de desinfecção e contratação de professores de apoio. Estão sendo adquiridos 9,8 mil termômetros infravermelhos para medição da temperatura, 328 mil máscaras infantis, 1,9 milhão de máscaras infanto-juvenis e 1,3 milhão de máscaras para adultos. 

De acordo com o governador Eduardo Leite, toda rede estadual deverá respeitar o calendário definido. Professores e funcionários que façam parte do grupo de risco poderão desempenhar seu trabalho remotamente. Professores fora do grupo de risco que não voltarem terão computadas faltas no dia de trabalho. Ao justificar a retomada das aulas, Leite mencionou a desaceleração do contágio do coronavírus no Estado e a redução da ocupação dos leitos de UTI, atualmente em 71%.

*Com informações GaúchaZH

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]