Entenda como a inflação interfere no seu bolso

Existem quase 40 tipos diferentes de medir a inflação no Brasil, mas a chamada inflação oficial é a do Banco Central, que é medida mês a mês pelo IBGE, através do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que mede o consumo das famílias com renda até 40 salários mínimos.

Inflação é a variação de preços ao longo do tempo. Na verdade, não é ela que aumenta o preço das coisas. É o preço que aponta o nível da inflação. Principalmente em serviços, alimentação e preços administrados, falando nesta inflação oficial.

A meta de inflação traçada pelo governo vai de 2,5% a 6,5% ao ano. Acima disso, saiu do controle pretendido pelo Banco Central, que então usa o instrumento chamado Taxa Selic, que aumenta os juros.

O primeiro efeito da inflação alta: provoca o aumento dos juros. Com isso, fica mais caro a pessoa pegar dinheiro emprestado no banco ou pagar alguma compra pagando parcelado, com juros. Culpa da inflação alta.

Outro efeito negativo da inflação alta: caderneta de poupança. Aumenta a inflação, acima do teto da meta, 6,5%, a poupança começa a render menos do que a inflação oficial. Ou seja, quem tem dinheiro guardado na caderneta, na verdade passa a perder dinheiro. E por que? Primeiro porque dinheiro, ou salário, valendo menos do que a inflação, é dinheiro retirado do seu bolso, é dinheiro que compra menos do que comprava a mesma coisa antes.

E no caso da poupança, pelas regras, quando os juros da Selic estão acima de 8,5%, ela rende apenas os 6% ao ano mais a TR, taxa de referência, que é perto de zero. Com inflação digamos a 4%, a poupança continua rendendo 6%. Dois a mais. Se subir para 8%, a poupança rende 6%. Dois a menos. Juros altos por que? Por causa da inflação alta.

Outro estrago que a alta dos preços, ou seja, inflação alta, provoca é no salário. Você tem aumento salarial, digamos, em janeiro. É calculado pela inflação acumulada passada. Mesma coisa com o salário mínimo, que tem mais um pouco de ganho, depende do PIB dos dois anos passados.

A cada mês, a inflação pode subir. Se subir, o seu salário vale o acertado menos a inflação do mês. É dinheiro valendo menos para comprar a mesma coisa. Chega em dezembro. Digamos que, em janeiro, seu salário aumentou 4%, inflação acumulada no ano anterior. E que, em dezembro futuro, a inflação acumulada seja de 10%. Isto significa o seguinte: seu salário perdeu 6% para inflação. Se era R$ 1 mil, na verdade está valendo R$ 940.

Inflação alta provoca estragos também na economia. Por exemplo, o Comitê de Política Monetária, o Copom, aumenta a taxa Selic e o Banco Central obedece. Aumenta para controlar a inflação.

Com isso, o governo vai ter que desembolsar muitos milhões a mais só para pagar a dívida pública, que está chegando aos R$ 2 trilhões. Só de juros das prestações mensais, é coisa que chega aos bilhões. Resultado: com a alta da Selic, por causa da inflação, o governo não cumpre o superávit primário, que é a economia para pagar os juros da dívida.

Entendeu o estrago que uma inflação alta faz na gente? Se não entendeu, dê um pulo no supermercado e vá comparando, a cada mês, quanta coisa a menos a pessoa está comprando, com o mesmo dinheiro. O preço das coisas sobe por que? Por causa da inflação.

 

Radioagência Nacional

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]