Caminhoneiros realizam protesto em Boa Vista das Missões

Aderindo ao movimento que se espalha por todo o país, caminhoneiros estão realizando mobilização no quilômetro 71 da BR 386, em Boa Vista das Missões. A categoria protesta contra o aumento do preço do óleo diesel.  Não há interdição da via para veículos de passeio, ônibus e ambulâncias. Os motoristas de caminhões estão sendo convidados a aderirem ao protesto no pátio do posto de combustível do local. 

Demais manifestações ocorrem às margens de rodovias estaduais e federais de 12 cidades. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os grupos se reúnem no km 22, da BR 101, em Três Cachoeiras, no km 219 da BR 290, em Uruguaiana, no km 461 da BR 285, em Ijuí e no km 397 da BR 116, em Camaquã e no km 337 da BR 285, em Carazinho. Nos cinco pontos, os manifestantes impedem apenas a passagem de caminhões, para que – ainda em atividade – participem do protesto.

Já nas rodovias estaduais, são sete estradas com manifestações. Há protestos em Taquara, São Sebastião do Caí, Viamão, Santo Antônio da Patrulha, Gravataí, Santa Cruz do Sul e Cachoeira do Sul. Em alguns casos, os grupos estão apenas aglomerados às margens das estradas e, em outros, os caminhões são parados.

Confira os protestos

– ERS 020: km 28, em Taquara: cerca de 30 pessoas participam do ano. Não há bloqueios.
– ERS 122: km 16, em São Sebastião do Caí:  cerca de 50 pessoas participam do ato. Somente caminhões são parados, para se juntarem a manifestação.
– ERS 040: km 28 ao 21, em Viamão: cerca de 40 pessoas. Trânsito livre.
– ERS 474: km 01, em Santo Antônio da Patrulha: cerca de 40 pessoas. Caminhoneiros são convidados a parar, demais veículos têm trânsito livre.
– ERS 118: km 9, em Gravataí: cerca de 50 pessoas reunidas às margens da rodovia.
– RSC 287: km 78, em Santa Cruz do Sul: cerca de 30 pessoas – apenas aglomeração.
– ERS 471: km 220, em Cachoeira do Sul: cerca de 30 pessoas – apenas aglomeração.
– BR 101: km 22, em Três Cachoeiras: bloqueio apenas de veículos de carga.
– BR 290: km 219, em Uruguaiana: bloqueio apenas de veículos de carga.
– BR 285: km 461, em Ijuí: bloqueio apenas de veículos de carga.
– BR 116: km 397, em Camaquã: bloqueio apenas de veículos de carga.
– BR 285: km 337, em Carazinho: bloqueio apenas de veículos de carga no trevo do avião.

Nessa segunda, passou de 30 o número de pontos em que os caminhoneiros bloquearam ou realizaram manifestações contra a alta do diesel. Em entrevista à Rádio Guaíba, o presidente da Associação Brasileira de Caminhoneiros (ABCam), José Fonseca Lopes, mencionou que, no entendimento dele, o melhor era apenas paralisar as atividades e não realizar protestos: “Eu não queria fechamento de rodovia, sou contrário, o que eu peço é que o caminhoneiro fique em casa, com a família. Se fizer durante cinco dias, resolve tudo. Mas como cada cabeça é uma sentença, a gente não consegue resolver dessa maneira”, ponderou, lembrando que o anúncio de mais um aumento dos combustíveis elevou as tensões.

A ABCam não informou o número de profissionais que se juntaram ao movimento. A entidade reivindica a isenção de PIS, Cofins e Cide sobre o óleo diesel utilizado por transportadores autônomos. A associação também propõe medidas de subsídio à aquisição de óleo diesel.

A categoria sustenta que os caminhoneiros vêm sofrendo com aos aumentos sucessivos no diesel, o que gera aumento de custos para a atividade de transporte. Segundo a associação, o diesel representa 42% dos custos do negócio e 43% do preço do combustível na refinaria vem do ICMS, PIS, Cofins e Cide.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]