Amazonas inicia transferência de pacientes com Covid-19 para outros estados

Ao menos 235 pacientes infectados com Covid-19 e que estão internados em hospitais do Amazonas devem ser transferidos a partir desta sexta-feira para outro cinco estados brasileiros por conta do colapso hospitalar em solo amazonense ocasionado pela falta de oxigênio. De acordo com o governo do Amazonas, nove pessoas que estavam em unidades da rede pública estadual já foram transferidas nas primeiras horas da manhã com o auxílio da Força Aérea Brasileira (FAB). Eles irão continuar o tratamento contra o novo coronavírus em Teresina, no Piauí. 

Os pacientes saíram dos Hospitais e Prontos-Socorros (HPS) 28 de Agosto e Platão Araújo para receber atendimento no Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (UFPI), em Teresina. Um segundo grupo de 15 pacientes deve ser encaminhado para São Luís, no Maranhão, também nesta sexta. O transporte da FAB faz parte da força-tarefa do Amazonas com o governo federal para conter o aumento de casos de Covid-19 e superar a dificuldade do sistema de saúde. 

O secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde (MS), coronel Luiz Otávio Franco Duarte, que coordena a operação, explicou que os pacientes transferidos têm condições adequadas e o suporte necessário para o transporte. “São pacientes que ainda continuam dependente do oxigênio, mas eles têm toda a segurança para serem aerotransportados. É muito importante entender que o paciente do Amazonas que subir na aeronave terá toda a segurança e assistência, com cobertura até de assistentes psicossociais para que não haja falha nenhuma”, garantiu.

Nessa primeira operação de aerotransporte, quatro pacientes apresentaram instabilidade e, por isso, não puderam ser embarcados. Outro paciente desistiu. Foi realizado estudo de viabilidade técnica para levantar quais estados teriam condições de auxiliar no apoio assistencial, sem que suas redes de saúde fossem muito impactadas.

Transporte dos doentes

A escolha dos pacientes que serão transferidos será feita pelas equipes médicas da capital do Amazonas, e o transporte será feito em dois aviões da FAB, que levam até 25 pacientes deitados em macas.

Eventualmente, segundo o ministério, os doentes poderão ser levados em aviões de carreira ou fretados. Se isso for necessário, o deslocamento será feito com médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem.

Colapso no Amazonas

A falta de oxigênio se tornou o principal gargalo do sistema de saúde do estado. Para amenizar a falta do produto, dois aviões da FAB chegaram hoje a Manaus com cilindros.

Ainda segundo o ministério, foram entregues 125 mil máscaras N95, 247,8 mil máscaras cirúrgicas e 200 mil luvas aos profissionais de saúde do Amazonas.

A pasta disse que enviou ao Estado também 180 monitores, 373 bombas de infusão, 6.900 equipos, 78 ventiladores pulmonares (40 exclusivos para o interior do estado), 250 mil cápsulas de oseltamivir e 700 cilindros de oxigênio.

 

*Correio do Povo 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


CAPTCHA Image[ Atualizar Imagem ]